Os 10 melhores golos do Benfica (1990-2015)

Os 10 melhores golos do Benfica (1990-2015)

2535
0
COMPARTILHE
lima benfica wallpaper
lima benfica wallpaper

“Isto não é Ballet…é futebol”.

Mas não é o futebol uma espécie de bailado? Um bailado mais agressivo, mais animalesco, mais frenético, mais sujo que ainda assim consegue ter momentos de pura beleza capazes de, com uma finta bonita, comover até o ser mais apático, com um remate acrobático fazer vibrar os mais calmos e até mesmo com a perfeição de um belo passe de letra trazer luz à mais escura das almas. Isso é arte, criar emoções com um movimento de corpo enquanto se ultrapassa um defesa, com o som da bola a bater na bota quando se remata. E depois, o clímax. O clímax explosivo do som das redes após a imagem da bola que atravessa a linha da baliza criando o contraste entre cores que esmorecem, passando para um plano de fundo, com as que explodem dentro de campo, saltam e se expandem. No Benfica, ao longo dos tempos têm havido momentos de beleza inigualável que só aqueles que fazem parte desta família puderam viver. Abaixo vou colocar os melhores e os mais belos golos de sempre do Glorioso, mas propor-me a tal tarefa seria ridículo, pela impossibilidade de o fazer correctamente. O que se segue não é mais que a minha escolha pessoal dos melhores momentos (golos) e mais lindos que tive o prazer de presenciar nos últimos 25 anos, que me fizeram a mim – e acredito que a muitos outros benfiquistas – saltar, gritar, rir e até libertar lágrimas de felicidade:

 

Sporting – Benfica [1993/94] – João Vieira Pinto

Tinha e provavelmente ainda tenho este jogo gravado numa cassete VHS. Já vi inúmeras vezes e nunca me esqueço daquele golo do João Vieira Pinto, do meio da rua que dá o 1-1 a um Benfica que, como momentos antes dizia o comentador, “não tem fio de jogo”. É um golo fenomenal num jogo que qualquer Benfiquista conhece e em que João Vieira Pinto dá um espectáculo de bola, ou como o comentador diz no 2-2 também marcado pelo mesmo jogador “Sporting 2, João Pinto 2”. Por mais vezes que veja, nunca perde o impacto!

 

Sporting – Benfica [1999/00] – Sabry

Já referi aqui o contraste das cores, este é um desses momentos. O Sporting preparava-se para ser campeão com o empate em casa frente ao Benfica, no entanto, no ultimo minuto, Sabry decidiu apagar todo o verde e tudo o que se via em campo era vermelho. O final foi tão inesperado que nem M.Night.Shyamalan (o tipo do sexto sentido) se lembraria de escrever algo assim. Melhor que este só a final da Champions de 1999 entre Bayern 1-2 Manchester United.

 

Benfica – Sp. Braga [1998/97] – Karel Poborsky

Em 12 segundos, Poborsky pega na bola, atravessa o campo, finta 4 jogadores e ainda marca golo. É extraordinariamente raro ver um golo em que toda a jogada é de um unico jogador que faz a transição da bola desde a defesa para o ataque, que finta jogadores e que marca. Por norma isto é uma tarefa partilhada por toda a equipa. É uma daquelas obras de arte raras de encontrar em que um faz o trabalho de muitos. Beck fez isso com o seu álbum “Morning Phase” (Grammy melhor álbum) em que toca 14 instrumentos e ainda canta. Bem…o Poborsky fez o trabalho de 11 jogadores.

 

Benfica – Académica [2009/2010] – Saviola

Este é um chapéu melhor que o da Mary Poppins. Saviola faz um trabalho de precisão de outro mundo. Após receber a bola em plena grande área, rodeado de defesas e de costas viradas para a baliza, El Conejo vira-se e já quase na pequena área faz a bola subir o suficiente por cima do guarda-redes da Académica, descendo o suficiente para entrar na baliza de forma sublime. Não é fácil fazer um chapéu quando se tem espaço, tempo e o guarda-redes está adiantado mas é algo simplesmente abismal fazê-lo após uma rotação, e quase sem espaço entre o guarda-redes e a baliza. Mas a arte também é feita com ciência e este é um enquadramento feito com régua e esquadro.

 

Benfica – Porto [2012/13] – Nemanja Matic

Um cruzamento, dois passes de cabeça e um remate acrobático de Matic à entrada da grande area. Jogo de equipa com a troca de bola feita só de cabeça e um remate extraordinário do sérvio. Vale a pena pagar bilhete só para ver um golo deste calibre. Não há muito a dizer…é um golo tão bom ao ponto de levar um comentador a dizer “Ca ganda golo!”…e esteve nomeado para melhor golo do ano 2013.

 

Benfica – Sporting [2009/10] – Pablo Aimar

Tenho que admitir que posso ser um pouco tendencioso quando se fala de Pablo Aimar. É um dos meus jogadores favoritos de todos os tempos, no entanto isto é um belíssimo golo. Um grande artista, nunca está totalmente satisfeito com o seu trabalho, procura sempre mais e Aimar habituou-nos a isso mesmo, a essa luta e esse desejo de fazer sempre algo melhor. Este golo é um desses casos em que o argentino, descontente com a banalidade de fazer um golo, decidiu não rematar para o fundo das redes quando a maioria dos jogadores o faria. Aimar decide fintar Rui Patrício e colocar a bola nas redes quando quase já não tem ângulo. É assustador quando alguém complica algo que seria tão simples, mas Aimar procura a beleza na sua arte e essa só se consegue correndo riscos.

 

Benfica – Porto [2013/14] – André Gomes

Este é dos golos que mais festejei em toda a minha vida. Via o jogo rodeado de portistas e sportinguistas que, como acontece nestas datas, vestiam de azul. Faltava pouco para o jogo acabar, tínhamos menos um artista em campo, mas tínhamos o menino André com vontade de fazer o comentador esquecer-se do “Picasso do futebol” como este se tinha acabado de referir a Gaitan, para receber a bola de peito, passá-la para trás e por cima do defesa portista acabando por rematar para o golo, tudo sem deixar cair a bola, qual malabarista. Este é um golo que me fez saltar, gritar e até soltar uma lágrima com o turbilhão de emoções que senti.

 

Guimarães – Benfica [2008/2009] – David Suazo

Escrevo David Suazo mas o que eu me recordo deste golo é do passe de letra de D10S. É mais um daqueles momentos mágicos de Aimar. Que podia ter recebido a bola e feito o passe, mas isso não seria um toque de génio. Como artista que é, faz um passe longo, de letra, de primeira, perfeito para David Suazo que prossegue para fazer o golo 5000 do Benfica, após a finta sobre o defesa do Vitória de Guimarães. Nada me tira da cabeça que Aimar, sabendo que era um marco importante na história do Benfica, decidiu fazer algo lindo para que ficasse para sempre na história deste emblema.

 

Benfica – Sporting [2004/05] – Luisão

Não é um golo bonito, na verdade se isto fosse um filme seria algo do Mr. Bean ou do Chaplin. É um golo engraçado, de sorte, é um frango é o que lhe quiserem chamar mas este foi o golo que deu o campeonato ao Benfica. O primeiro campeonato que eu festejei… foi a primeira vez que senti algo assim e foi inesquecível. Como o primeiro amor ou o primeiro beijo, foi uma sensação inesquecível da qual só resta a doce memória de algo tão lindo. Obrigado Luisão!

 

Benfica – Sporting [2013/14] – Lima

Para terminar fica este golo maravilhoso. Este é o género de golo que mais gosto. Tem um pouco de tudo. Começa com um freestyle de Gaitán sobre dois adversários, um tango entre Gaitán e Salvio para acabar com um pezinho de samba, do Lima. É dos golos mais lindos de que tenho memória de ver, talvez o meu golo favorito do Benfica.

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA